Seguidores

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Exame de DNA aponta que fãs foram estupradas por 8 integrantes da banda New Hit

Sêmen de seis foi achado, mas outros dois também tiveram relação, diz promotora
A promotora Marisa Jansen, que participa da audiência de instrução do processo em que integrantes da banda New Hit são acusados de estupro coletivo de duas adolescentes na cidade de Ruy Barbosa, no interior da Bahia, informou nesta terça-feira (3) que um exame de DNA comprovou que oito acusados mantiveram relações sexuais com duas adolescentes no dia 26 de agosto do ano passado.
A promotora afirmou que o sêmen de seis deles foi localizado, mas que os outros dois também mantiveram relações, apesar de não terem ejaculado, segundo comprovou o laudo. Ela não divulgou quantos suspeitos tiveram relação com cada uma das adolescentes.
Os acusados chegaram por volta das 8h30 no fórum e não quiseram falar com a imprensa. O advogado de defesa pediu o adiamento dos interrogatórios, mas a juíza negou o pedido. A audiência acontece até quinta-feira (5).
Oito integrantes da banda respondem pelo suposto estupro e também por formação de quadrilha.
A decisão do Ministério Público conta que, ao entrar no ônibus, as garotas passaram a ser “vítimas de atitudes libidinosas" por parte dos dançarinos Alan, Wesley e Guilherme, bem como do vocalista de vulgo Dudu, tendo as "duas jovens os repreendido". Uma delas foi “puxada pelos cabelos” por William, vulgo Brayan, que “desferiu-lhe tapas no rosto e, brutalmente, a arrastou para dentro do banheiro”.
Lá, juntamente com Weslen, vulgo Gagau, iniciaram a primeira sessão de estupro, estando a vítima “totalmente acuada e impossibilitada de oferecer resistência”. Embora tenha tentado se desvencilhar dos agressores e escapar, a vítima foi mantida no banheiro para que outros dois membros, desta vez Michel e Guilherme, passassem a estuprá-la na sequência. Durante todo o tempo, a adolescente era xingada e agredida fisicamente. Esta mesma vítima ainda foi estuprada, ato contínuo, por Alan, vulgo Alanzinho e Edson dos Santos.
Os músicos negam que tenham cometido o abuso e afirmam que as relações foram com o consentimento das meninas. Elas passaram a sofrer ameaças após a divulgação do caso e tiveram que deixar a cidade em que moravam. As adolescentes entraram em um programa de proteção da polícia e foram encaminhadas para abrigos. Uma ainda continua no local e a segunda voltou para a casa da família.
Os músicos passaram 38 dias presos, mas respondem ao processo em liberdade e estão com a agenda de shows normalmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O QUE VOCÊ ACHA!!!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem sou eu